2005/02/22

Musica:Festival Super Bock Super Rock 2005


A décima-primeira edição do festival Super Bock Super Rock, vai se realizar, entre os dias 27 e 29 de Maio, no Parque Tejo, Parque das Nações em Lisboa. A proposta de peso para o festival de 2005 são: System of a Down, Prodigy, The Hives, Marylin Manson, Audioslave, Iggy & The Stooges e Hoobastank.
Em vésperas do lançamento do próximo disco duplo, Mesmerize, os System of a Down são os cabeças-de-cartaz do primeiro dia. Os Prodigy vêm exibir a música de dança pesada via "Always Outnumbered Never Outgunned".
No dia 28, os suecos The Hives vão estrear-se nos palcos portugueses e apresentar o seu último album "Tyrannosaurus Hives" onde se inclui o êxito "Walk idiot walk".O grupo de Nicholaus Arson, Chris Dangerous, Dr. Matt Destruction, Vigilante Carlstroem e Howlin' Pelle Almqvist tem sido um dos mais badalados da onda de rock revivalista.
O último dia abre com os Hoobastank. Que regressam a Portugal para promover o seu último álbum, "The Reason". Iggy Pop, também, regressa aos palcos portugueses após o cancelamento da sua actuação no Festival Dragão. Iggy trás consigo a sua banda os Stooges que recentemente se reuniram – coisa que já não acontecia desde 1973.
Os Audioslave e Marilyn Manson regressam a Portugal, para fechar o festival depois das suas participações no Super Rock In Lisbon, em 2003.
Os bilhetes estão à venda, sob edição limitada de 5,000 passes a 65 euros (apenas no mês de Fevereiro) e o preço normal é de 75 Euros - passe para os três dias – 38 Euros – bilhete de um dia. Os bilhetes podem adquirir-se nas Caixas Automáticas Multibanco, Ticketline (Reservas: +351 21 003 6300) e Fnac (C.C. Colombo, Chiado, Cascaishopping, Almada Fórum, Norteshopping, St.ª Catarina, Gaiashopping e Fnac Services: C.C. Vasco da Gama e Atrium Saldanha), Abep, Alvalade, www.ticketline.pt, www.plateia.iol.pt.
A.C.
Nota: Para informações adicionais, contactar o Dpto. de Promoção da Música no Coração. Dpto. PromoçãoMúsica no Coração
Tel: 21 315 6554
Fax: 21 315 6555
www.musicanocoracao.pt

No El País de domingo

Notícia sobre as eleições portuguesas.
Título: "Los portugueses acuden hoy a las urnas en unos comicios marcados por la apatía"

Excerto: "Los socialistas piden mayoria absoluta con el argumento de que es imprescindible para sacar el país del pozo en que se encuentra, con la renta per cápita más baja de la zona euro, la peor productividad y la previsión mas baja de crescimiento".

A percepção de um espanhol sobre Portugal deve ser mais ou menos a mesma com que um português fica quando lê sobre Angola ou Moçambique!

Musica: Maresnostrum apresenta novo álbum de originais no Santiago Alquimista

Marenostrum apresenta, no dia 24 de Fevereiro à noite, o seu mais recente albúm de originais "Almadrava", no Santiago Alquimista, à Costa do Castelo, em Lisboa.
Segundo o grupo, o albúm é constituído por 11 originais onde o grupo Sotavento algarvio tenta fazer haver um equilibrio entre a música portuguesa e a tradição judia klezmer, árabe e cabo-verdiana.
Na noite de lançamento do albúm estará presente a cantora cabo-verdiana Maria Alice que contríbui com a sua particpação no tema "Nha Rosa". Para além da cantora, o evento conta com a participação do guitarrista Mamadi que participa nos temas "Baile mandado" e " Fado da ilha".
O grupo de musica popular tem dez anos de existência, tendo em Novembro de 2001 editado o seu primeiro álbum, "Estoy em Santa", produzido pelo próprio grupo. Uma das particulariedades que fazem dos Marenostrum um grupo especial é o grupo de instrumentos que o compõem: guitarra acústica, bandolim, bateria, percussão, acordeão, baixo eléctrico e trombone. Esta originalidade foi premiada em 2003 no I Concurso de Música Arribas Folk de Sendim (Miranda do Douro).
A.C.

Opinião: Mais previsões

Bloco de Esquerda - Vai continuar a ser um partido de protesto mas apresentando já algumas propostas aplicáveis. Só desta forma o BE pode aspirar a crescer nas próximas eleições, com a certeza de que, se a esquerda falhar (BE incluído), a direita poderá voltar ao poder nas próximas legislativas e o CDS-PP pode voltar a crescer de novo, se apresentar uma liderança forte. Um crescimento de votos no CDS-PP implica uma transferência de votos. Neste caso o BE perderá sempre alguns.

PCP - Vai apostar nas velhas bandeiras da ideologia, reforçadas pelo líder Jerónimo de Sousa. Quando terminar o estado de graça de Jerónimo, poder-se-á constatar que os votos da CDU foram retirados de uma franja eleitoral um pouo mais à esquerda da esquerda do PS. Sócrates parece ter assustado essa esquerda.

PS - Terá bastante trabalho pela frente. Ser o partido vencedor, com maioria absoluta, transporta para o PS a obrigação de fazer mais e melhor do que foi feito. Uma da popularidade queda de Sócrates, acompanhada por uma mudança na liderança do PSD, pode significar a perda da maioria absoluta nas próximas eleições, caso o PS não supere as expectativas que, legitimamente, criou.

PSD - Só com Santana "fora" pode aspirar a melhorar. Está visto que Manuela F. Leite é a melhor cotada para correr à liderança do partido. Apesar de ser pouco popular, os portugueses apreciam aquela forma genuína de fazer política. A pasta das Finanças forneceu-lhe um capital simbólico que ninguém pode negar.

CDS-PP - Com Paulo Portas fora do partido será difícil segurar os resultados obtidos no passado. Paulo Portas foi um líder populista mas teve apoio de muita gente. Só terá uma grande subida, nas próximas eleições, caso haja uma derrocada da esquerda.

2005/02/21

Errata

Nas nossas previsões apontámos para uma vitória do PS e acertámos. Mas menosprezámos os socialistas. Prevíamos um resultado que permitisse a eleição de 116 deputados (limiar da maioria absoluta) mas o que é certo é que o PS conseguiu, ainda sem os votos dos emigrantes, 120 deputados. À CDU e ao BE endereçamos também um enorme pedido de desculpas por termos menosprezado ambos. Tanto a coligação PCP-PEV como o Bloco conseguiram mais um deputado do que nós previmos. Ao CDS-PP endereçamos as nossas mais sentidas condolências, pelo parco resultado, e pedimos também desculpa por também neste caso, o termos menosprezado.

Pedimos também desculpa ao PSD por termos inflaccionado o peso do partido. Apontámos para 83 deputados quando afinal o PSD não vale mais do que 72.

Ao menos a nós não nos processam. A nossa previsão até era boa para o PSD!
Santana, desculpa lá, a festa até foi bonita pá...!